Vídeos

Visitas

segunda-feira, 13 de março de 2017

A APIME participará da Programação da XXV Semana de Zootecnia da UFRPE/2017.





A APIME na Programação da  XXV Semana de Zootecnia da UFRPE/2017.

 DIA 10 DE MAIO DE 2017

Palestras sobre   Apicultura e Meliponicultura 

1)    9h -  Manejo de Caatinga para fins apimeliponícola.           Palestrante: Lula do Mel (Apicultor/APIME) 

2)  14h  - Manejo de meliponicultura Palestrante.                      Palestrante: Alexandre Moura (APIME)

3)  16h  - Abelha rainha e aumento na produção: combinação indispensável Palestrante: Renata Souza                            (Docente, UFRPE) 

a) A APIME terá direito a gratuidade de algumas inscrições para o Simpósio.

b)A APIME tem um stand para exposição no Dia do Produtor.

Quem tiver interessado em participar do Simpósio ou Expor no stand nos envie a proposta de interesse.

O PET Zootecnia, que organiza o evento,  precisa urgente dos dados dos apicultores da APIME que tem interesse de participar do Simpósio de Apicultura e Meliponicultura da XXV Semana de Zootecnia da UFRPE/2017.

Portanto, é necessário o preenchimento da ficha de inscrição enviada via-email para APIME até o dia 19/03.  Peça sua Ficha de Inscrição pelo e-mail:  apime.pe@hotmail.com





quinta-feira, 2 de março de 2017

Instrução Normativa do IBAMA - Abelhas e Agrotóxicos

Ibama aumenta proteção a abelhas e insetos polinizadores com nova norma sobre avaliação de agrotóxicos

    Última atualização em Sexta, 24 de Fevereiro de 2017, 19h52
    Operária de Apis mellifera em flor de café
    Foto: Cristiano Menezes
    Foto: Cristiano Menezes
    Brasília (24/02/2017) – O Ibama publicou Instrução Normativa que estabelece diretrizes, requisitos e procedimentos para a avaliação dos riscos de ingredientes ativos de agrotóxicos para insetos polinizadores. A norma, destinada a produtos ainda não registrados no país ou em reavaliação, é a primeira a estipular critérios de decisão com base no risco, ou seja, na probabilidade de uma espécie ser afetada pela exposição a agrotóxicos. O objetivo é oferecer mais proteção a abelhas e outros polinizadores.
    Das 141 espécies de plantas cultivadas no país para alimentação, produção animal, biodiesel e fibras, aproximadamente 60% dependem da polinização animal, aponta a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A preocupação com o declínio das populações de abelhas e outros insetos é crescente em todo o mundo, o que levou governos e organizações a investigar sistematicamente o problema e suas causas.
    Instrução Normativa (IN) n° 02/2017, publicada no Diário Oficial da União no último dia 10/02, condiciona registros de agrotóxicos à apresentação de informações que permitam o uso adequado desses produtos, sem efeitos que comprometam a sobrevivência, a reprodução e o desenvolvimento das abelhas.
    Desde 2012 o Ibama realiza estudos para estabelecer uma metodologia de avaliação de riscos resultantes do uso de agrotóxicos para insetos polinizadores, levando em consideração as particularidades da agricultura brasileira.

    Avaliação ambiental
    A avaliação ambiental de agrotóxicos conduzida pelo Ibama compreende: a Avaliação do Potencial de Periculosidade Ambiental (PPA) e a Avaliação de Risco Ambiental (ARA). A primeira leva em consideração a toxicidade dos agrotóxicos e seu comportamento em ambientes diversos. A segunda, além da toxicidade, considera a exposição dos organismos aos agrotóxicos, o que inclui o modo e a época de aplicação, as doses, a cultura e o clima, entre outros fatores.
    Embora específica para insetos polinizadores, a nova IN também regulamenta as bases para o procedimento de avaliação de risco ambiental para registro de agrotóxicos, que será estendido a outros organismos e ecossistemas.

    Consulta pública
    Um primeiro esboço da Instrução Normativa foi submetido a Consulta Pública no site do Ibama em 31 de maio de 2016, com prazo de 30 dias, prorrogado até 19 de julho. Participaram representantes de instituições de ensino e pesquisa, órgãos governamentais, entidades representativas do setor apícola, entidades e empresas do setor regulado, apicultores e meliponicultores. Entre os participantes da consulta, 52% se declararam “fortemente favoráveis” à proposta de norma em discussão e 27%, “favoráveis”. As contribuições oferecidas foram analisadas e parte delas foi incorporada ao texto final da IN.

    Mais informações:

    terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

    segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

    A APIME e a reunião sobre a ROTA DO MEL

    O Estado de Pernambuco foi representado por Luiz Aleixo, o Lula do Mel, Sócio da APIME, na reunião sobre a Rota do Mel, promovida pelo Ministério da Integração Nacional, realizada em Fortaleza - CE, nos dias 14 e 15 de fevereiro de 2017.

    Luiz Aleixo, além da participação em diversas discussões, defendeu a proposta de que a Meliponicultura passe a integrar a Rota do Mel, até então pensada apenas para a apicultura.

    Parabenizamos Luiz Aleixo pela defesa dessa proposta da Meliponicultura Pernambucana integrar a Rota do Mel!

    No evento estavam presentes o Presidente da Confederação de Apicultores e Meliponicultores, o Sr. José Soares de Aragão e o Presidente da Unamel, o Sr. José Xavier Leal Neto.

    A Rota do Mel é uma das Rotas do Programa Rotas da Integração, criado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional.

    O Programa "Rotas da Integração" tem como objetivo a estruturação da cadeia produtiva e a integração econômica das regiões menos desenvolvidas do País. O projeto contempla também a centrais de comercialização de produtos oriundos das respectivas cadeias produtivas, contribuindo para a consolidação das redes de Arranjos Produtivos Locais (APLs), um dos principais objetivos da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

    quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

    2º Seminário sobre Código Florestal – Edição Pernambuco

    A BVRio junto com o Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) promove a segunda de edição do Seminário “Caminhos para a implementação do Código Florestal para os Estados do Nordeste”. O evento acontece na sede da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (SEMAS), dia 17 de fevereiro, a partir das 8h30.

    Abaixo, veja a programação do seminário:
    08h30 – 08h45: Abertura [Secretário Executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado de Pernambuco – Carlos André Cavalcanti, Observatório do Código Florestal e CEPAN]
    08h45 – 09h00: Principais mudanças do Novo Código Florestal [Advogada Liza Baggio]
    09h – 09h30: O Programa de Regularização Ambiental (PRA) no Nordeste [Fábio Henrique Sousa – SEMA/MA e Itaragil Marinho – SEIRHMACT/PB]
    09h30 – 10h00: O Programa de Regularização Ambiental (PRA) do Estado do Pará [Thales Belo – Subsecretário Adjunto de Gestão e Regularidade Ambiental –SEMAS/PA (a confirmar)
    10h – 10h30:  Debate
    10h30 – 10h50: Coffee
    10h50 – 11h10: Regras de transição e regularização da Reserva Legal [Roberta del Giudice – Instituto BVRio]
    11h10 – 11h30: Compensação ambiental em Unidades de Conservação [Cleberson Zavaski – ICMBio]
    11h30 – 11h50: Utilização de recursos de Compensação Ambiental para apoio da Agenda Ambiental [Manoel Serrão – Funbio]
    11h50 – 12h30: Debate
    12h30: Encerramento
    Serviço:Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco
    Endereço: Avenida Conselheiro Rosa e Silva nº 1339, Bairro dos Aflitos, Recife
    17 de fevereiro, a partir das 8h30
    Faça a inscrição usando o formulário abaixo:
    http://www.bvrio.org/2017/02/09/seminario-do-codigo-florestal-pernambuco/

    Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas

    Umburana - "Pau de Abelha" - Proteger a umburana é conservar as abelhas nativas
    Uma jovem planta de umburana de cambão